Tito 1:9 - Apegado à palavra fiel, a qual é segundo o ensinamento dos apóstolos, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo ensinamento saudável como para convencer os que se opõem. (RV)

Siga para a seguinte seção neste artigo:

"Situação especifica" ou "Pessoa especifica"? 1

"Analysis & Response" constrange a credulidade de seus leitores quando pergunta: "Ao pedir por 'uma única publicação' o irmão Lee estabeleceu definitivamente um 'princípio geral' ou tratava-se de uma 'conveniência temporária'? Em outras palavras, isso foi uma comunhão referente a uma 'situação específica' e a uma 'pessoa específica'?" "Analysis & Response" reivindica 2 que a comunhão do irmão Lee com respeito a ser restrito em uma única obra de publicação, se aplica apenas ao esforço de evangelização empreendido em Taiwan em 1986, e que desde a morte do irmão Lee isso já não deveria ser aplicado de forma geral. Declara ainda que já não há ninguém qualificado para "soar a mesma trombeta" na restauração do Senhor hoje, nem existe qualquer "campanha militar" "sendo atualmente travada, que exija um 'exército celestial'" de santos a serem levantados para servir em unanimidade.

Esses arrazoamentos são produtos de uma mentalidade obscurecida. O autor de "Analysis & Response" está evidentemente cego para:

  1. O contínuo combate da igreja contra o inimigo de Deus;
  2. O papel de liderança do ministério na batalha; e
  3. Itens particulares da batalha atual.

Conhecer as respectivas participações da igreja e do ministério na batalha espiritual e alguns dos itens particulares da batalha atual, habilita-nos a perceber que a comunhão do irmão Lee não era uma " situação específica" tampouco " pessoa específica" e para discernir quem está qualificado hoje para "soar a mesma trombeta" como ele, o irmão Lee, hoje.

O contínuo combate da igreja contra o inimigo de Deus

De acordo com a Bíblia, a igreja de Deus está em um estado constante de guerra com o inimigo de Deus. O campo dessa batalha é universal e não acabará até que o Senhor retorne. De Gênesis 1 até Apocalipse 20, a Bíblia relata a batalha entre Deus e Seu inimigo, Satanás, como ilustra os seguintes pontos:

  1. Quando Deus deu o domínio ao homem que havia criado, isso demonstrou Sua intenção de usar o homem para tratar com a rebelião de Satanás e a usurpação da terra (Gn 1:26, 28).

    Gn. 1:26, 28 - [26] Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele 5domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. [28] E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e 1sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.

    nota de rodapé 1:26 5 - Deus criou um homem corporativo não apenas para expressar a Si mesmo com Sua imagem, mas também para representá-Lo exercendo Seu domínio sobre todas as coisas.A intenção de Deus em dar o domínio ao homem é (1) subjugar o inimigo de Deus, Satanás, quem se rebelou contra Deus; (2) restaurar a terra, que foi usurpada por Satanás; e (3) exercer a autoridade de Deus sobre a terra, a fim de que o reino de Deus venha à terra, que a vontade de Deus seja feita na terra e que a glória de Deus seja manifestada na terra (Mt 6:10, 13b).

    nota de rodapé 1:28 1 - Subjugar aqui implica que uma guerra entre Deus e Seu inimigo, Satanás, está sendo violentamente travada na terra. Quem ganhar a terra terá a vitória. O homem foi criado por Deus para subjugar, conquistar a terra e restaurá-la para Deus.

  2. Desde o tempo em que Deus chamou Israel para fora do Egito, a história da nação de Israel no Antigo Testamento, como um tipo da igreja no Novo Testamento, é uma história de batalhas (Êx 15:3; 17:16; Dt 9:3) Eles lutaram para possuir a boa terra e para estabelecer o reino de Deus.

    Êx. 15:3 - O S ENHOR é homem de guerra; S ENHOR é o seu nome.

    Êx. 17:16 - E disse: Porquanto o S ENHOR jurou, haverá guerra do S ENHOR contra Amaleque de geração em geração.

    Dt. 9:3 - Sabe, pois, hoje, que o S ENHOR, teu Deus, é que passa adiante de ti; é fogo que consome, e os destruirá, e os subjugará diante de ti; assim, os desapossarás e, depressa, os farás perecer, como te prometeu o S ENHOR.

  3. A vinda do Senhor foi para o Seu combate contra Seu inimigo para estabelecer Seu reino (Mt 10:34).

    Mt. 10:34 - Não penseis que vim trazer paz à terra; não 1vim trazer paz, mas espada.

    nota de rodapé 10:34 1 - A terra inteira está sob a usurpação de Satanás (1Jo 5:19). O Rei celestial veio chamar alguns para livrá-los dessa usurpação. Isso certamente suscitou a oposição de Satanás. Este instigou o povo que estava sob sua usurpação a lutar contra os chamados do Rei celestial. Assim, a vinda do Rei não trouxe paz, mas espada.

  4. No início da era do Novo Testamento, o Senhor assemelhou Seu serviço evangélico ao fato de saquear o Seu inimigo (Mc 3:27).

    Mc. 3:27 - Ninguém pode entrar na casa do homem forte e saquear-lhe completamente os bens se primeiro não 2amarrarar o homem forte; e então lhe saqueará completamente a casa.

    nota de rodapé 3:27 2 - Isso indica que, enquanto realizava o Seu serviço evangélico, o Salvador-Escravo estava amarrando o homem forte, Satanás. O serviço evangélico é uma guerra para destruir Satanás e seu reino de trevas.

  5. Na primeira revelação com respeito à igreja, o Senhor Jesus disse aos discípulos que haveria guerra entre a igreja, que é o reino de Deus, e as portas do Hades, o reino de Satanás (Mt 16:18).

    Mt 16:18 - Também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre essa rocha edificarei a Minha igreja, e as 6portas do Hades não prevalecerão contra ela.

    nota de rodapé 16:18 6 - As portas do Hades se referem à autoridade ou poder das trevas de Satanás (Cl 1:13; At 26:18), que não pode prevalecer contra a igreja verdadeira, edificada por Cristo sobre a revelação com respeito a Si mesmo como a rocha, usando pedras tais como Pedro, um ser humano transformado. Essa palavra do Senhor indica também que o poder satânico das trevas atacará a igreja. Assim, há uma batalha espiritual entre o poder de Satanás, que é o seu reino, e a igreja, que é o reino de Deus.

  6. Os apóstolos Paulo e Pedro encarregaram os crentes participarem da batalha espiritual (Rm 13:12; Ef 6:11-13; 1Pe 4:1; 1Pe 5:8-9a).

    Rm. 13:12 - Vai alta a 1noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz.

    nota de rodapé 13:12 1 - A era presente é a noite. Quando o Senhor Jesus retornar, o dia amanhecerá. A era vindoura, a era do reino, será dia claro.

    Ef. 6:11-13 - [11] 1Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; [12] porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. [13] Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

    nota de rodapé Ef. 6:11 1 - Do lado positivo, nos primeiros cinco capítulos, a igreja é retratada de muitas maneiras para o cumprimento do propósito eterno de Deus. Do lado negativo, a igreja é vista aqui como um guerreiro para derrotar o inimigo de Deus, o diabo. Para derrotar o inimigo de Deus, necessitamos revestir-nos de toda a armadura de Deus. "Revestir-se" é um imperativo, uma ordem. Deus concedeu-nos uma armadura, mas Ele não nos veste por nós. Em vez disso, nós mesmos devemos vestir-nos, exercitando nossa vontade para cooperar com Ele.

    1 Pe. 4:1 - Ora, tendo Cristo sofrido na carne, 2armai-vos também vós do mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado.

    nota de rodapé 4:1 2 - Isso indica que a vida cristã é uma batalha.

    1 Pe. 5:8-9a - [8] Sede 1sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; [9] 1resistir-lhe firmes na fé...

    nota de rodapé 5:8 1 - Ser sóbrio é ter uma mente de sobriedade e domínio próprio para que possamos conhecer, especialmente como é revelado nesse capítulo, o propósito de Deus em disciplinar-nos e as maquinações do Seu inimigo para destruir-nos...

    nota de rodapé 5:9 1 - Não resistir nem lutar, mas permanecer firme, como uma rocha, sobre o terreno da nossa fé diante do maligno que ruge.

  7. O apóstolo João escreveu a respeito do filho varão como a parte mais forte da mulher, para lutar a batalha contra o inimigo de Deus (Ap 12:2, 7).

    Ap. 12:2 - Que, achando-se 1grávida, grita com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz.

    nota de rodapé 12:2 1 - A criança aqui, sendo um filho varão (v. 5), representa a parte forte do povo de Deus. Através de todas as gerações existiram alguns fortes entre o povo de Deus. Esses são considerados na Bíblia uma unidade coletiva lutando a batalha por Deus e trazendo o reino de Deus para a terra.

    Ap. 12:7 - Houve 1peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos.

    nota de rodapé 12:7 1 - Imediatamente após o filho varão ter sido arrebatado aos céus, Miguel e seus anjos começaram a pelejar contra Satanás. Isso indica que o filho varão, a parte mais forte do povo de Deus, está sempre envolvido na luta contra o inimigo de Deus, Satanás. Eles combatem a Satanás continuamente sobre a terra. Os céus esperam sua chegada para que a guerra seja travada, a fim de expulsar Satanás dos céus.

  8. Essa era será consumada com a vinda de Cristo e Seu exército vencedor para esmagar o Anticristo e seu exército (Dn 2:34; Ap 19:11, 19) para introduzir o reino milenar.

    Dn. 2:34 - Quando estavas olhando, uma 1pedra foi cortada sem auxílio de mãos, feriu a estátua nos pés de ferro e de barro e os esmiuçou.

    nota de rodapé 2:34 1 - ... Quando Cristo vier como a pedra esmagadora, não virá sozinho; pelo contrário, Ele virá com Seus vencedores, Sua noiva, Seu aumento, como Seu exército (Jo 3:29-30; Ap 17:14; 19:7-8, 11, 15). Durante a era da igreja, a era do mistério, Cristo está edificando a Sua igreja para ser Sua noiva (Ef 5:25-29). Antes que Ele descenda para a terra, Cristo terá as bodas, nas quais desposará os vencedores (Ap 19:7-9), aqueles que estiveram lutando a batalha contra o inimigo de Deus por anos e que já venceram o maligno (cf. Ap 12:11). Após Suas bodas, Ele como o marido virá com Sua noiva recém casada para destruir o Anticristo, que lutará com seu exército diretamente contra Deus (Ap 17:14; 19:19).

    Ap. 19:11 - Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. 1O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça.

    nota de rodapé 19:11 1 - Após as bodas, Cristo virá como o General combatente, com Sua noiva (os crentes vencedores chamados para as bodas) como Seu exército para lutar contra o Anticristo e seus reis com seus exércitos no Armagedom.

    Ap 19:19 - E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo e contra o seu exército.

Quase todos os ensinamentos no Novo Testamento estão compostos com os elementos da imagem de Deus, para expressar Deus em Cristo por meio do Espírito, e a autoridade para lutar a batalha e tratar com o inimigo de Deus. Esses são os dois principais componentes do plano eterno de Deus, e são os dois itens principais de todo ensinamento das Escrituras, especialmente no Novo Testamento. ( Basic Principles for the Practice of the Church Life, p. 69)

Deus quer retomar a terra. A terra tornou-se um lugar crucial, um lugar que Satanás quer manter e um lugar que Deus quer retomar. A batalha é sobre a terra. Aquele que ganhar a terra será o vencedor. Se Satanás puder manter a terra sob sua mão, ele terá a vitória. Se Deus puder retomar a terra, Ele terá a vitória. O Senhor Jesus ainda não voltou porque a terra ainda está completamente sob a usurpação de Satanás. Por isso é que Deus precisa da igreja. A igreja precisa lutar a batalha para retomar a terra, se não toda ela, pelo menos algumas pedras para pisar, alguns postos avançados para que o Senhor Jesus possa colocar Seus pés. A terra é crucial. ( Estudo-Vida de Gênesis, p. 96)

O Novo Testamento diz-nos que Deus designou Seu povo para lutar contra o reino de Satanás. Ele determinou-lhes a responsabilidade de se comprometerem na batalha espiritual. A história das lutas de Israel contra os Cananeus é um tipo, uma figura, da batalha que está sendo travada hoje entre nós e os anjos caídos e demônios. ( Life-study of Numbers, p. 244)

Para o reino dos céus ser estabelecido, deve haver um confronto entre o reino dos céus e o reino do mundo. Esses dois reinos não podem coexistir. Porque o Rei celestial está estabelecendo Seu reino na terra, o combate entre esses dois reinos é inevitável. ( Estudo-Vida de Mateus, p. 368)

Assim, a igreja é o próprio instrumento por meio do qual Deus trava a guerra contra o Seu inimigo. Anunciar publicamente na Internet uma declaração de que não existe uma batalha hoje, é um chamamento para que a igreja renuncie a posição e responsabilidade que Deus comissionou a ela. Se a igreja atentasse a essa proclamação terrível, ela abriria entrada para ser invadida pelas portas do Hades. Dizer que não há batalha é um sintoma de estar sob o efeito entorpecente da obra de Satanás. Certamente contra essa invasão de morte e trevas na igreja, há a necessidade de um soar de trombeta por meio do ministério do Senhor.

Liderança do Ministério Toma Parte na Batalha

Nessa batalha, o ministério disputa uma posição particular - o tocar da trombeta chamando a igreja para a batalha. No Antigo Testamento soavam a trombeta para que o exército fosse para a guerra (Nm 10:9; Jz 7:18; 2Cr 13:14-15; Ne 4:20). No Novo Testamento o ministério é uma vida e um serviço tomando a liderança contra o inimigo de Deus (2Co 6:7; 2Tm 2:3). Quando Paulo falou aos presbíteros de Éfeso em Atos 20:26-27 que ele estava limpo do sangue de todos os homens porque ele não hesitou em declarar-lhes todo o conselho de Deus, sua palavra foi uma referência ao encargo do Senhor para Ezequiel de ser uma sentinela para advertir Seu povo a se voltarem dos caminhos errantes (Ez 3:17-19) e fazer soar a trombeta para advertir Seu povo do ataque dos seus inimigos (Ez 33:1-6). Assim, Paulo aplica a questão do soar a trombeta com a sua declaração do pleno conselho de Deus em levar a cabo o ministério neotestamentário e, em particular, em suas palavras de advertência e orientação para os que tinham a liderança na igreja. Como o irmão Lee notou, no mover do Senhor em Sua restauração desde que Ele levantou Watchman Nee na China, o ministério, e particularmente a obra de publicação, é o soar da trombeta.

Nm. 10:9 - Quando, na vossa terra, sairdes a pelejar contra os opressores que vos apertam, também tocareis as trombetas a rebate, e perante o S ENHOR, vosso Deus, haverá lembrança de vós, e sereis salvos de vossos inimigos.

Jz. 7:18 - Quando eu tocar a trombeta, e todos os que comigo estiverem, então, vós também tocareis a vossa ao redor de todo o arraial e direis: Pelo S ENHOR e por Gideão!

2 Cr. 13:14-15 - [14] Olhou Judá e viu que a peleja estava por diante e por detrás; então, clamaram ao S ENHOR, e os sacerdotes tocaram as trombetas. [15] Os homens de Judá gritaram; quando gritavam, feriu Deus a Jeroboão e a todo o Israel diante de Abias e de Judá.

Ne. 4:20 - No lugar em que ouvirdes o som da trombeta, para ali acorrei a ter conosco; o nosso Deus pelejará por nós.

2 Co. 6:7 - Na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas 1armas da justiça, quer ofensivas, quer defensivas.

nota de rodapé 6:7 1 - Isso indica que a vida dos apóstolos para o ministério deles era uma vida na batalha, lutando pelo reino de Deus. Armas de justiça são usadas para lutar para que possamos ser justos com Deus e com os homens de acordo com a justiça de Deus (Mt 6:33; 5:6, 10, 20).

2 Tm. 2:3 - Participa dos meus sofrimentos como bom 1soldado de Cristo Jesus.

nota de rodapé 2:3 1 - O apóstolo considerou seu ministério uma luta por Cristo, exatamente como um serviço sacerdotal era considerado um serviço militar, uma batalha, em Números 4:23, 30, 35 (RV).

At. 20:26-27 - [26] Portanto, eu vos protesto, no dia de hoje, que estou limpo do sangue de todos; [27] porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus.

Ez. 3:17-19 - [17] Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; da minha boca ouvirás a palavra e os avisarás da minha parte. [18] Quando eu disser ao perverso: Certamente, morrerás, e tu não o avisares e nada disseres para o advertir do seu mau caminho, para lhe salvar a vida, esse perverso morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei. [19] Mas, se avisares o perverso, e ele não se converter da sua maldade e do seu caminho perverso, ele morrerá na sua iniqüidade, mas tu salvaste a tua alma.

Ez. 33:1-6 - [1] Veio a mim a palavra do S ENHOR, dizendo: [2] Filho do homem, fala aos filhos de teu povo e dize-lhes: Quando eu fizer vir a espada sobre a terra, e o povo da terra tomar um homem dos seus limites, e o constituir por seu atalaia; [3] e, vendo ele que a espada vem sobre a terra, tocar a trombeta e avisar o povo; [4] se aquele que ouvir o som da trombeta não se der por avisado, e vier a espada e o abater, o seu sangue será sobre a sua cabeça. [5] Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; o seu sangue será sobre ele; mas o que se dá por avisado salvará a sua vida. [6] Mas, se o atalaia vir que vem a espada e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo; se a espada vier e abater uma vida dentre eles, este foi abatido na sua iniqüidade mas o seu sangue demandarei do atalaia.

Em Números, o som da trombeta era chamado de alarme, pois para Deus, os filhos de Israel estavam continuamente em guerra. A qualquer tempo eles podiam ouvir o alarme para a luta. Quando se moviam, eles o faziam em luta. Isso quer dizer que nossa caminhada cristã, nosso mover cristão, é um mover de luta. Contudo, com muita freqüência temos sido negligentes nessa questão, e o resultado é que temos sofrido. Quanto a determinados moveres, sofremos muito porque não tínhamos consciência de que estávamos em uma guerra. Estamos sempre em guerra; portanto, devemos constantemente estar sob o soar do alarme. ( Life-study of Numbers, pp. 120-121)

II. UM SOLDADO

No versículo 3 Paulo continua: "Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus". Os apóstolos consideravam seu ministério um combate por Cristo, assim como serviço sacerdotal era considerado um serviço militar, um combate, em Números 4:23, 30, 35 (ver BJ). Sempre que ministramos Cristo aos outros, encontramo-nos numa batalha. Portanto, não devemos ser somente mestres que transmitem o depósito a outros, mas também soldados que lutam pelos interesses de Deus.

O versículo 4 diz: "Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer aquele que o arregimentou." A palavra grega para vida aqui é bíos, indicando a vida física nesta era. Para combater o bom combate (4:7) pelos interesses do Senhor nesta terra, devemos estar livres de todo embaraço terreno. As questões da vida material e física não devem emaranhar-nos quando nos empenhamos em ministrar Cristo aos outros. Esse ministério é um combate, e o combate exige que estejamos livres de embaraços. Por um lado, o serviço sacerdotal é um ministério para Deus; por outro, é uma guerra contra os inimigos de Deus. Quando os sacerdotes carregavam a arca do testemunho, tinham de estar preparados para lutar contra inimigos que pudessem atacar esse testemunho. ( Estudo-Vida de 2 Timóteo, p. 25-26)

O que espero é que todas as igrejas ao redor do globo aceitem a ajuda deste ministério para prosseguir pelo mesmo caminho de modo que possamos ter o moral, o impacto, para lutar a árdua batalha pela restauração do Senhor. Tenho plena certeza de que isso é o que o Senhor precisa nesta era para voltar. É por isso que fico tão preocupado ao ver algo diferente, qualquer coisa que seja, entrando na restauração do Senhor. ( Treinamento de Presbíteros, Volume 8: A Vitalidade do Mover Atual do Senhor, p. 102-103)

Deus não enviaria trombeteiros a soar diferentes trombetas para que o Seu exército lute a batalha (1Co 14:8; Nm 10:9; Jz 7:18). Isso seria uma confusão. Deus é mais sábio que isso. Ele levantará apenas um trombeteiro para fazer soar apenas um chamamento, uma voz, para que assim Seu povo marche. ( The Testimony of Jesus, p. 99)

Tínhamos apenas uma publicação. Tudo era publicado por meio da editora do irmão Nee porque a publicação realmente corresponde a tocar a trombeta. ( Treinamento de Presbíteros, Volume 8: A Vitalidade do Mover Atual do Senhor, p. 199-200)

Itens particulares da batalha hoje

Dizer que não há "campanha militar" "sendo travada atualmente" é cegueira. Cada aspecto da restauração do Senhor é uma luta contra o inimigo de Deus, visando edificar o Corpo de Cristo e produzir os vencedores para finalizar esta era. Essa luta inclui a restauração de Cristo como nossa vida e como nosso tudo, a restauração da função de todos os membros de Cristo e a restauração da prática da unidade entre os crentes. Isso inclui entrar nas verdades do alto pico, o viver do homem-Deus e o apascentar. Isso inclui a prática da maneira ordenada por Deus de reunir e servir e a vida da igreja com os grupos vitais. Isso inclui a propagação de Cristo e a pregação do evangelho do reino para toda a terra.

O irmão Lee nunca deu a entender que a nossa luta terminaria com a sua morte. Ao contrário, em 24 de março de 1997, ele disse:

Agora eu sinto fortemente que o inimigo de Deus tem apenas uma coisa a fazer: destruir essa obra, uma obra que acima de tudo edifica o Corpo; por isso o Corpo se torna o meio de cumprir algo para produzir a Nova Jerusalém. Aqui está a batalha entre Deus e Satanás. Quem alcançará o objetivo? Estou agora mesmo no meio dessa batalha. Nenhum cristão sobre a terra sabe o que é edificar o Corpo de Cristo, mas nós temos o segredo. Contudo, eu não sei o quanto o Senhor me teria nessa batalha, mas eu sei que a vossa participação nessa batalha significa muito. Apenas isso trará aquilo que o coração de Deus deseja obter. (citado na Ministry Magazine, Vol. 1, n.º 1, outubro de 1997, p. 95)

Um aspecto particular da batalha do ministério é guerrear contra diferentes ensinamentos (1Tm 1:3-4, 18), incluindo anular sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus (2Co 10:4-5), como fator da frustração de Satanás, para o cumprimento da economia de Deus para edificar o Corpo de Cristo na unidade e unanimidade apropriada.

1 Tm. 1:3-4 - [3] Quando eu estava de viagem, rumo da Macedônia, te roguei permanecesses ainda em Éfeso para admoestares a certas pessoas, a fim de que não ensinem outra doutrina, nem se ocupem com fábulas e genealogias sem fim, que, antes, promovem discussões do que o serviço de Deus, na fé.

1 Tm. 1:18 - Este é o dever de que te encarrego, ó filho Timóteo, segundo as profecias de que antecipadamente foste objeto: 33combate, firmado nelas, o bom combate.

nota de rodapé 1:18 3 - Combater o bom combate é guerrear contra os diferentes ensinamentos dos dissidentes e levar a cabo a economia de Deus (v. 4) segundo o ministério do apóstolo com respeito ao evangelho da graça e a vida eterna, para que o Deus bendito seja glorificado (vv. 11-16).

2 Co. 10:4-5 - [4] Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, [5] anulando nós 1sofismas e toda 2altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo 1pensamento à obediência de Cristo.

nota de rodapé 10:5 1 - Arrazoamentos e pensamentos estão na mente e pertencem a ela. São as fortalezas de Satanás, o adversário de Deus, dentro da mente daqueles que são desobedientes a Deus. Por meio da batalha espiritual, arrazoamentos devem ser anulados e todos os pensamentos devem ser levados cativos à obediência de Cristo.

nota de rodapé 10:5 2 - As coisas arrogantes dentro da mentalidade reprovada que são contra o conhecimento de Deus. Elas também devem ser derrubadas pelas armas espirituais para que já não sejam levantados contra o conhecimento de Deus.

A BATALHA PELA EDIFICAÇÃO DE DEUS NO NOVO TESTAMENTO

...A igreja se tornou tão desolada [no tempo em que Paulo escreveu 2 Timóteo], que até mesmo abandonou a Paulo. Contudo, Paulo não estava desencorajado. Ele exortou Timóteo a "combater o bom combate" (1Tm 1:18), que era lutar contra os diferentes ensinamentos dos dissidentes e cumprir a economia de Deus (v. 4) segundo o ministério dos apóstolos concernente ao evangelho da graça e a vida eterna, para que o Deus que é digno de todo louvor possa ser glorificado (vv. 11-17).

Naquele tempo o maior problema eram os ensinamentos diferentes que os dissidentes propagavam. Esse problema introduziu um grande dano na igreja. Paulo disse a Timóteo para permanecer em Éfeso a fim de "admoestar alguns a que não ensinassem diferentemente" (1Tm 1:3 - RV) Ao fazer isso, Timóteo estava combatendo o bom combate. Assim, combater o bom combate não é cerrar os punhos ou pisar os pés dos outros. É, do lado negativo, derrotar e destruir os ventos dos ensinamentos diferentes, e do lado positivo, levar a cabo a economia de Deus. Paulo enfatizou claramente que meramente não ensinar coisas diferentes era insuficiente; deve-se, todavia, falar a economia de Deus. Hoje somos desafiados com a mesma batalha. Assim, combater o bom combate, resistir à decadência da igreja e levar a cabo a economia de Deus, é pregar o evangelho da graça e da vida eterna segundo o ministério dos apóstolos. ( The Present Practice in God's Economy, Ministry Magazine, Vol. 2, n.º 3, Março de 1998, pp. 10-11)

A Comunhão do irmão Lee era referente a uma "Situação Específica"?

Com esse pano de fundo podemos avaliar a pretensão em "Analysis & Response" de que o chamado do irmão Lee para os cooperadores na restauração do Senhor serem restritos em uma única obra de publicação era uma "situação específica". É impossível as referências do irmão Lee com respeito ao abandono do seu ministério pessoal no norte da China para juntar-se à obra do Senhor através do irmão Nee, sem perceber seu forte desejo que todos os irmãos sigam seu modelo para preservar a unidade da restauração do Senhor ao trazer a obra deles sob o ministério geral tomando a liderança na restauração do Senhor. É também impossível não detectar seu encargo quando ele falou de como sua absoluta unidade com o irmão Nee foi o fator chave para a preservação da restauração do Senhor por todo o curso de sua vida, unidade ao ponto de que ele e o irmão Nee "sempre se comportaram, agiram e reagiram na restauração como um Corpo." Mações com respeito a prática de ser restrito a uma única obra de literatura na China e dizer que seu pensamento era que essa prática deveria ser limitada à China ou a qualquer outra área geográfica. Nem pode, de maneira justa, ler suas advertências com respeito ao dano à unidade das igrejas, of the churches by gifted brothers who hold on to their own works as applying only during the gospelization campaign of Taiwan.causado pelos irmãos dotados se estes preservam suas próprias obras, como aplicáveis apenas durante a campanha de evangelização de Taiwan.

Não apenas isso, os fatos apresentados como base do argumento em "Analysis & Response" são imprecisos. A palavra do irmão Lee sobre ser restrito em uma única publicação que é relatada nas páginas 199-202 do livro Treinamento para Presbíteros, Volume 8: A Vitalidade do Mover Atual do Senhor não foi falada em Taiwan, mas nos Estados Unidos. Além disso, o irmão Lee já havia falado em Singapura, em 1985, sobre o assunto do soar de diferentes trombetas. Não há nenhum indício naquelas mensagens de que estivesse falando em um contexto de esforço de evangelização em Taiwan, o qual não começou até o ano seguinte.

Quando as pessoas pregam segundo suas próprias preferências, causam problemas. Por exemplo, Apolo era alguém que conhecia de maneira especial e era especialmente capaz de expor as Escrituras. Contudo, Apolo tinha um problema na sua pregação e por fim não esteve no mesmo fluir que Paulo estava (At 18:24-25; 19:1-7; cf. 1Co 16:12). Todos nós devemos ver essa questão claramente. Portanto, os cooperadores devem evitar esse tipo de problema; o que falamos deve estar no mesmo encargo único. Trabalhei juntamente com o irmão Nee durante dezoito anos. Em todos aqueles anos, absolutamente, não falei minhas próprias mensagens. Qualquer que seja a mensagem que o irmão Nee tenha falado, eu falei o mesmo. Não apenas deixei de fazer qualquer mudança, mas até mesmo falei claramente para as pessoas que aquelas eram mensagens dadas pelo irmão Nee em tais e tais lugares e em tais e tais dias. Isso não quer dizer que eu não possuía algumas mensagens próprias e por isso tinha que falar as mensagens do irmão Nee. Eu possuía uma boa quantidade de mensagens que poderia ter falado, mas propositadamente não o fiz. Falei o que o irmão Nee falou, porque vi claramente que aquela era a restauração do Senhor naquele momento.

Agora, o mesmo tipo de problema existe em todas as cidades - não estamos em perfeita harmonia. Embora não tenhamos acolhido qualquer intenção maligna de uns para com os contra outros, todos estão falando segundo suas próprias preferências. Como resultado, na igreja é mostrado que existem duas trombetas, o que produz um som incerto. Um exército pode ter apenas uma trombeta; assim, todo o exército terá um único comando. Se existem duas trombetas soando, mesmo que uma delas seja bem fraca, isso causará problemas. ( Speaking for God, pp. 106-107)

Talvez o mais apropriado seja olhar para o contexto que o irmão Lee mesmo proveu em sua mensagem sobre "Nenhum Som Incerto de Trombeta no Ministério do Senhor", sob o subtítulo "O Ministério do Senhor: O Soar da Trombeta para o Exército Ir à Guerra". Nela ele falou da igreja como um exército universal e divino lutando para tomar, não meramente Taiwan, mas toda a terra.

Ninguém entre nós deveria considerar uma batalha como algo pequeno. Um exército que está lutando necessita de moral, de uma unidade combatedora. A fim de manter essa moral, mesmo uma pequena dissensão concernente a menor questão deve ser aniquilada. Se um pequeno falar divergente não for aniquilado, a moral será anulada. Não haverá mais moral, e certamente o exército perderá a luta, a batalha. Isso me adverte com respeito a seriedade do ministério do Senhor. O ministério do Senhor é como o soar da trombeta para o exército para avançar para a guerra (Nm 10:9; Jz 7:18). O ministério do Senhor é uma questão de batalha (2Tm 2:3 e nota 3 1- Recovery Version).

O EXÉRCITO COMBATENTE DE DEUS

Temos de perceber que a igreja do Senhor hoje é um exército combatente. Estamos fazendo algo mais sério do que qualquer batalha na terra. Estamos lutando contra o inimigo de Deus, Satanás. (...) A igreja não é um mero grupo de pessoas reunidas. Ela é um exército universal e divino lutando por Deus contra Seu inimigo universal.

Na história moderna houve duas guerras mundiais, mas precisamos perceber que hoje a igreja está travando uma guerra universal, cujo espaço é muito mais amplo do que o espaço estudado atualmente pelos cientistas. A maior parte do seu estudo está confinada a uma única galáxia, mas muitos, muitos milhões de galáxias e muitas coisas além disso formam o espaço no qual estamos combatendo. ( Treinamento de Presbíteros, Volume 7: Unanimidade para o Mover do Senhor, pp. 89-90)

Estamos combatendo o inimigo nas regiões celestiais, o espaço universal. Nossa batalha ultrapassa em muito quaisquer medidas. Não estamos travando uma pequena batalha, meramente pelos Estados Unidos ou pelo mundo. Nossa batalha é universal. Ao falar sobre interpretação de línguas, Paulo considerava o assunto relacionado com a batalha universal que estamos travando. Ao falar sobre isso, ele usou uma ilustração: o soar de uma trombeta para a batalha.

Estamos travando uma batalha. O exército já começou a luta em Taiwan. Agora queremos vê-lo crescer para lutar não só nos Estados Unidos, mas também no Canadá, América Central, América do Sul, Europa, África, Australásia e em todo o continente asiático. Isso é o que quero ver. Não estou falando sobre igrejas. Estou falando sobre o ministério. ( Treinamento de Presbíteros, Volume 7: Unanimidade para o Mover do Senhor, pp. 95-96)

O âmbito da batalha da qual o irmão Lee se refere em sua comunhão concernente a ter apenas uma trombeta por meio de uma única obra de publicação na restauração do Senhor, não se limitada a ilha de Taiwan, mas abarcava toda a terra. Também não há indicação de que sua comunhão estivesse limitada a qualquer tempo ou lugar. Isso se refere mais amplamente à liderança provida pelo ministério na batalha universal contra o inimigo de Deus, uma batalha que tem como meta a introdução da volta do Senhor e à era do reino.

A Comunhão do Irmão Lee Era Referente a uma "Pessoa Específica"?

O que, então, da reivindicação em "Analysis & Response" de que o chamado para que os cooperadores fossem restritos a uma única publicação é específico a uma pessoa, ou seja, que uma vez que o irmão Lee faleceu, isso não é mais aplicável? De acordo com essa visão, o irmão Lee era o líder reconhecido pelas igrejas na restauração do Senhor, e agora que ele se foi, já não há nenhuma liderança. Isso distorce tanto o relato do Novo Testamento quanto o ensinamento do nosso irmão no que diz respeito à liderança.

I. Com respeito à Liderança

Os dissidentes também levantaram questões concernentes à questão da liderança. Em 1986 dei uma série de mensagens que foram mal entendidas e mal usadas por eles (vide Treinamento de Presbíteros, Volume 7: Unanimidade para o Mover do Senhor, Eles pensaram que me referi ao fato de que sou o líder na restauração do Senhor. Então no Treinamento de Verão de 1987, dei mensagens adicionais para destacar que na verdade, a liderança no Novo Testamento não é uma pessoa, mas o ensinamento dos apóstolos (vide The God-ordained Way to Practice the New Testament Economy, capítulo dezenove, especialmente as páginas 172-173, publicado pela Living Stream Ministry) O ensinamento de Paulo, o ensinamento do Novo Testamento, e não o próprio Paulo, era a verdadeira liderança. Hoje, entre nós, o ensinamento daqueles que ensinam o ensinamento dos apóstolos do Novo Testamento, é a liderança. A liderança na restauração do Senhor não é na verdade segundo o ensinamento de ninguém, mas segundo o ensinamento dos apóstolos, o qual é o ensinamento do Novo Testamento. ( The Practice of the Church Life According to the God-ordained Way, pp. 33-34)

Segundo o relato do Novo Testamento, a liderança está no ensinamento dos apóstolos (At 2:42). Em 1 Timóteo 1:3-4 Paulo exortou Timóteo a permanecer em Éfeso para que exortasse alguns a não ensinar diferentemente da economia de Deus. Primeira Timóteo nos mostra que havia uma liderança que exortava às pessoas a ensinar o que fosse apropriado. Isso demonstra que a liderança apropriada está no ensinamento dos apóstolos. ( Elders' Training, Book 9: The God-ordained Way and the Eldership (1), pp. 29-30)

Há uma única liderança desde que o ministério é um (At 1:17, 25). Porque o ministério é um, nunca deveria haver mais do que uma liderança. Existe apenas uma única liderança desde que Deus, o Senhor e o Espírito são todos um (Ef 4:4-6). Desde que há um Deus, um Senhor e um Espírito, como poderia haver mais do que uma liderança? A única liderança visa preservar a unidade do Espírito para o Corpo de Cristo (Ef 4:3). O cristianismo de hoje está dividido porque existem muitas lideranças. Todo líder tem um grupo, o qual é a esfera da sua liderança, e aquela esfera se torna uma divisão. Assim, se a questão da liderança não for aplicada ou vista de uma maneira adequada, isso criará divisão.

A LIDERANÇA NO ENSINAMENTO DOS APÓSTOLOS

O ensinamento dos apóstolos produz, fortalece e também limita, restringe. Em 1 Timóteo 1:3-4 Paulo encarregou Timóteo a permanecer em Éfeso para fazer uma coisa, com um propósito definido. Ele estava lá para exortar aos dissidentes a que não ensinassem coisas diferentes da economia de Deus na fé. Ele teve de exortar esses a não ensinar coisas que fossem diferentes do ensinamento dos apóstolos, o qual corresponde à economia neotestamentária de Deus, para dispensar o Deus Triúno em Seu povo escolhido e redimido, a fim de que Cristo tenha um Corpo com o alvo de expressar a Si mesmo e para que o Deus Triúno tenha uma expressão completa e eterna na Nova Jerusalém. Todo ministro que prega ou ensina deveria levar a cabo esse ministério. Caso contrário, esse pregador ou esse ministro deveria ser limitado. Paulo tinha a autoridade para exortar as pessoas a não ensinarem diferentemente da economia de Deus. Timóteo deveria dizer a esses dissidentes que suas maneiras de ensinar tinham de ser restringidas e corrigidas. Primeira Timóteo nos mostra que havia uma liderança que exortava as pessoas a ensinar o que era adequado...

Paulo, em sua obra no ministério neotestamentário, exercitou a liderança para corrigir aqueles que ensinavam erroneamente, e João exerceu sua liderança para exortar os crentes a não receberem aqueles que ensinam heresia, a qual não corresponde ao ensinamento dos apóstolos. Os apóstolos que participaram no ministério da economia neotestamentária exercitaram uma liderança....

Na restauração, no ministério de Deus, não há liberdade para pregar o que gostamos de pregar ou ensinar o que gostamos de ensinar. Nossa pregação e nosso ensino têm de ser restringidos sob a liderança por meio da revelação da economia neotestamentária de Deus. Se alguém na restauração do Senhor começa a ensinar, enfatizar ou promover alguma coisa diferente da economia neotestamentária de Deus, haverá a necessidade de que uma liderança restrinja isso. Assim não haverá confusão. Nunca haveria confusão na restauração do Senhor se todos tivessem uma revelação clara do ministério na economia neotestamentária de Deus...

A VERDADEIRA LIDERANÇA

A liderança no ministério do Novo Testamento em realidade não é uma liderança de uma pessoa controladora. Na restauração do Senhor, rejeitamos a noção de uma pessoa controlando pessoas e assuntos. Temos uma liderança, mas não a liderança de uma pessoa controladora. Em vez disso, temos a liderança de uma revelação controladora no único ministério por meio daqueles que introduzem a revelação do ministério. A revelação controla, e o faz por meio daqueles que introduzem a revelação. A revelação na restauração do Senhor nos controla e restringe. ( The God-ordained Way to Practice the New Testament Economy, pp. 167-173)

Dizer que não há necessidade de ser restringido a uma única obra de publicação é dizer que não há liderança por meio do falar do Senhor no ministério atualmente. Isso é declarar que estamos em um período parecido com o relatado no livro dos Juízes, no qual todos faziam o que bem lhes parecia. Dizer isso é abrir a porta para ambições impuras, "igrejas de bolso", cooperadores privados (não entremesclados) e ensinamentos diferentes. Ser restringido é uma proteção. A maneira de ser restringido por meio do entremesclar é um modo prático de fortalecer a realidade do Corpo de Cristo. Aqueles que estão indispostos a tomar a restrição de ser entremesclado com outros, rejeitam a comunhão do irmão Lee para a continuação do ministério que ele e o irmão Nee trouxeram para a restauração do Senhor.

Quem é qualificado para "soar a mesma trombeta"?

"Analysis & Response" pergunta: "Quais irmãos, hoje, estão qualificados para 'soar a mesma trombeta' como o irmão Lee?" Essa pergunta, que é um desafio grosseiro para a liderança dos cooperadores entermesclados na restauração do Senhor, é na verdade uma pergunta equivocada. Não é uma questão de quais irmãos são qualificados hoje para "soar a mesma trombeta" como o irmão Lee. A pergunta real é: "Quais irmãos hoje estão soando a mesma trombeta como o irmão Lee"?

Quando Moisés saiu de cena, alguns poderiam argumentar que Josué não estava qualificado para substituir Moisés na liderança do povo de Deus. Dizer isso teria sido rebelião contra o arranjo de Deus. Como aquele que foi comissionado pelo Senhor por meio da ordenação de Moisés, Josué continuou na revelação que Deus deu a Moisés; ele não estava livre para tomar seu próprio caminho (Js 1:7; 8:35; 11:15). De modo similar, sob a liderança de Deus, o reinado foi transferido de Davi para Salomão, contudo Salomão não estava livre para edificar o templo conforme seu próprio plano; ele recebeu a planta detalhada de Davi (1Cr 28:11-12a). O princípio é o mesmo no Novo Testamento. Quando Paulo foi martirizado, Timóteo não estava livre para reinterpretar ou, de maneira seletiva, omitir porções do ensinamento dos apóstolos segundo seu próprio sentimento (1Tm 3:15; 4:6; 2Tm 3:10). Do mesmo modo, quando o martírio de Pedro era eminente, ele disse repetidamente, relembrando aos irmãos da "presente verdade" para que "mesmo depois da minha partida, conserveis lembrança de tudo." (2Pe 1:12-15).

Js. 1:7 - Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou. Dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.

Js. 8:35 - Palavra nenhuma houve, de tudo o que Moisés ordenara, que Josué não lesse para toda a congregação de Israel, e para as mulheres, e os meninos, e os estrangeiros que andavam no meio deles.

Js. 11:15 - Como ordenara o S ENHOR a Moisés, seu servo, assim Moisés ordenou a Josué; e assim Josué o fez; nem uma só palavra deixou de cumprir de tudo o que o S ENHOR ordenara a Moisés.

1 Cr. 28:11-12a - [11] Deu Davi a Salomão, seu filho, a planta do pórtico com as suas casas, as suas tesourarias, os seus cenáculos e as suas câmaras interiores, como também da casa do propiciatório. [12] Também a planta de tudo quanto tinha pelo Espírito... (RV)

1 Tm. 3:15 - Para que, se eu tardar, fiques ciente de 1como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade.

nota de rodapé 3:15 1 - Isso indica que esse livro nos dá instruções concernentes à maneira de cuidar da igreja local.

1 Tm. 4:6 - Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.

2 Tm. 3:10 - Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino, procedimento, propósito, fé, longanimidade, amor, perseverança.

2 Pe. 1:12-15 - [12] Por esta razão, sempre estarei pronto para trazer-vos lembrados acerca destas coisas, embora estejais certos da verdade já presente convosco e nela confirmados. [13] Também considero justo, enquanto estou neste tabernáculo, despertar-vos com essas lembranças, [14] certo de que estou prestes a deixar o meu tabernáculo, como efetivamente nosso Senhor Jesus Cristo me revelou. [15] Mas, de minha parte, esforçar-me-ei, diligentemente, por fazer que, a todo tempo, mesmo depois da minha partida, conserveis lembrança de tudo.

O ministério é o soar da trombeta para a batalha. A palavra de Paulo em 1 Coríntios 14:8 indica que ali não deveria haver um soar incerto de trombeta a fim de que não causasse confusão entre as igrejas como o exército de Deus.

1 Co. 14:8 - Pois também se a trombeta der som incerto, quem se preparará para a batalha?

Ensinamentos diferentes, seja "bíblico" ou não, constituem um som incerto na medida em que não estão alinhados com o ministério geral na restauração do Senhor. Quando existe esse som incerto, a única maneira de discernir qual seguir é reconhecer qual trombeta está de acordo com toda a planta do edifício de Deus, que foi liberada para as igrejas por meio de Sua revelação para Seus apóstolos. Quando você considera o alto pico do ministério do irmão Lee em seus últimos anos - o ápice da revelação divina, o viver do homem-Deus, a maneira ordenada por Deus - a questão se torna a seguinte: quem tem e quem não tem continuado, fielmente e absolutamente, a falar segundo a plenitude da Palavra interpretada e do mover atual do Senhor que o irmão Lee liberou para nós?

Próximo ao fim de sua vida o irmão Lee compartilhou uma mensagem intitulada "Ser Correto em Seguir a Outros." Nela ele disse que deveríamos "ser cuidadosos em seguir qualquer cooperador, a quem você aprecie ou por quem você seja atraído." Ele listou os seguintes critérios:

  1. Ele deve amar o Senhor, viver para o Senhor e renunciar seu ego, sua vida natural, sua preferência e ambição.
  2. Ele deve ter a revelação completa de toda a Bíblia, adequadamente e sem qualquer distorção ou deformação.
  3. Ele deve esforçar-se por manter a unidade do Espírito, a unidade do Corpo universal, tomando a base única da igreja local.

( Uma Palavra de Amor, aos Cooperadores, Presbíteros e a todos Aqueles que Amam e Buscam ao Senhor, p. 61)

Ao fazer esse desafio, questionando se alguém está qualificado a soar a mesma trombeta como o irmão Lee hoje, o autor de "Analysis & Response" parece implicar que não deveria haver nenhum soar de trombeta do ministério hoje. Isso, contudo é uma impossibilidade. A própria natureza do ministério é o soar da trombeta, para liderar o povo de Deus. Onde há o ministério, há o soar da trombeta. A questão é se essa trombeta será certa ou incerta, se haverá o mesmo soar da trombeta por toda a restauração do Senhor produzindo unanimidade, moral e impacto ou se serão produzidos diferentes sons que gerariam confusão e, por fim, divisão. Que o Senhor nos conceda toda a graça para seguir o único soar da trombeta do Novo Testamento, do ensinamento dos apóstolos com respeito a economia neotestamentária de Deus em plenitude, que foi revelado para nós.

Notas

1Uma das comunhões mais diretas do irmão Lee sobre o relacionamento entre ser restrito a uma única publicação e sobre a unanimidade como o fator de moral e impacto da igreja, está contida nos dois livros seguintes, que recomendamos para a leitura: Treinamento de Presbíteros, Volume 7: Unanimidade para o Mover do Senhor e Treinamento de Presbíteros, Volume 8: A Vitalidade do Mover Atual do Senhor, particularmente os capítulos 9 e 11.

2O autor de "Analysis & Response" pode protestar, em uma inocência simulada, que ele estava apenas fazendo perguntas, não declarando ou argumentando. Contudo, a forma dessas questões é claramente retórica, e uma "questão retórica" é definida como "uma questão para embaraçar, sem uma expectativa de resposta, mas meramente uma maneira de destacar" ( The New Dictionary of Cultural Literacy, Terceira Edição, publicado por E. D. Hirsch, Jr., Joseph F. Kett, e James Trefil, © 2002, Houghton Mifflin Company). Assim, referir-se a tais questões como declarações ou argumentos é completamente apropriado.

© 2006-2018 DCP. Todos os direitos reservados.
O DCP é um projeto que visa defender e confirmar o ministério neotestamentário de Watchman Nee e Witness Lee, e a prática das igrejas locais.
email